Páginas

segunda-feira, 6 de abril de 2015

O Roubo do Objeto Perdido _ Capitulo 1







"A alegria do escritor, começa com a aventura do leitor... "
Karlos McLaren                        



   Era mais um belo dia de sol, os pássaros cantavam, em uma arvore próxima, o vento levava um pouco de pó que saia da estrada de terra ao lado, um jovem passava de moto e fazia o pó se levantar mais e mais, uma jovem um pouco mais distante gritava ... "Carlos vou te Matar" ... enquanto o jovem ria e a senhora dizia: "Se comporte meu jovem " , Carlos acelerava e ia dar mais uma volta ...

   Onde é que se meteu o Roberto ? ... A pergunta foi feita por Elisabeth, uma senhora de estatura média , um pouco corpulenta , com um olhar astuto e castanho, nariz pequeno , e um bico no lugar de uma boca , usava um vestido florido e um Chapéu longo que escondia seu cabelo cor de palha .
   
   Nem imagino senhora ... Respondeu a jovem que chegava um pouco ofegante e cheia de pó . morena , corpo atlético que vinha de seu cooper e que gritava um pouco antes com o Carlos , pele morena de sol , olhos castanhos , cabelo preto e compridos preso com um rabo de cavalo, uma bela e carnuda boca sempre protegida por um batom , vestida uma roupa esportiva , top cinza , uma leg preta, uma meia e um tênis de marca , de acessório um óculos escuro e um aparelho celular que exatamente naquele momento tocava pelo fone de ouvido Back Street Boys .

   Já era para ele estar aqui .
   Eu ligo pra ele se a senhora quiser ?
   Se não for atrapalhar minha jovem ... se referindo a musica ...
   Eu pauso, é gravada , só me da um minuto .

   Enquanto Romy ligava para o Roberto, Carlos passava mais uma vez com a moto para delírio de Romy , e quem riu dessa vez foi a senhora Elisabeth ...
   Carlos é um empregado de Elisabeth, mais parece realmente um filho do que um empregado, sempre ou quase sempre grudado com a senhora, o jovem que não é nem baixo nem alto, magro, olhos castanhos tímido porem muito falador, a não ser quando o assunto é família ou seu passado, se sabe que ele é o caçula de três irmão, cabelo castanho escondido pelo capacete passou mais uma vez de moto antes que a Romy terminasse a ligação com Roberto .

   Eu Mato esse moleque .
   E ai ? pergunta a aflita senhora ...
   Ele foi pegar a Juliana, depois ele vai vir .
   Ele podia ter pelo menos avisado , não ficaria tão preocupada .
  Verdade, gostei daqui, cidade boa, casa ótima, é da senhora ?
   Não, imagina, é de uma amiga minha, Anne Marie, ela sempre oferece e nunca tenho tempo, agora que estou um pouco livre .
   Não é uma férias mais ...
   Uma folga muito bem vinda minha jovem .
   Verdade .
   
   Romy olhando mais alem via o mar, uma cidade que parecia uma pequena cidade do interior com um mar na porta "Isso é muito raro hoje em dia" falava e repetia a senhora Elisabeth, ali sentada lendo um bom livro .

   Carlos meu jovem, chega de moto .
   O que senhora, não escutei ?
   Tira esse capacete .
   Pronto .
   Chega de moto .
   Claro
   Você dirige bem .
   Obrigado, queria que a senhora andasse .
   Não meu jovem, disso ai eu quero distancia ...

   Ele sorrio e já emendou um "A senhora tomou seu remédio ? " 
   Claro que sim , vai logo tomar um banho você esta todo sujo e suado ...   

   Roberto chegou perto da hora do almoço com sua filha Juliana, ele um homem alto olhos verdes e cabelo meio a meio preto e grisalho , muito magro , Juliana como dizia seu pai tirando os cabelos loiros ela era igual a amiga Elisabeth em sua juventude muito alta e magra , olhos verdes da mãe estava com salto calça jeans e uma blusa azul claro .

   Gente que lugar lindo quero viver aqui o resto da minha vida .
   Morar comigo de jeito nenhum né Juliana, ela mora com uma amiga .
   Pai já falamos sobre isso .
   Não fiquem ai na porta vamos entrem .
   Senhora é seu esse lugar ?
   Não minha querida e de uma amiga minha .
   Que hora boa, hora do almoço .
   Você viu, tem uma moto, eu andei muito , você anda ?
   Já andei muito Carlos, hoje em dia ai já não sei .
   É muito bom .
   É uma droga ele fica toda hora jogando pó em cima da gente .
   Você não andou Romy ?
   Não .
   Eu quero muito andar pai .
   Não, nem vem .
   Eu levo ela Roberto .
   Ele dirige muito bem meu amigo .
   Vamos ver, quem sabe.
   Não deixa não Roberto .
   Não gora Romy
   Crianças ...

   Depois de muitas voltas com direito a Roberto levar a filha depois a Romy, Carlos levar a Juliana e jogar pó na Romy acabaram todos no final daquela tarde indo a praia ver o por do sol .

   Gente é muito mais que lindo aqui, eu quero mesmo viver aqui, pai compra uma casa aqui pra mim ?
   Vocês estão vendo né, pra ela, não pra nois, pra ela ...
    Todos cairão na risada ...

   Passearam na praia, aquela areia branca macia e ainda um pouco quente, Elisabeth e Roberto, resolveram voltar pra casa enquanto os jovens resolveram ficar mais uma pouco ...

   Não se preocupe Roberto eu cuido da Juliana .
   Até parece que eu precise de Babá , ainda mais um mais novo que eu .
   Toma tonto .
   Romy fica na sua .
   Juízo vocês .
   Se divirtam crianças .
   A minha amiga, não são mais crianças, não mesmo .

   Se a noite é uma criança ela deveria dormir sedo, já para esses jovens a madrugada a dentro seria um grande problema ... talvez o maior de todos ...

   Alô
   Desculpe incomodar a essa hora da madrugada, mais a senhora é a Elisabeth Calderon ?
   Sim sou, quem fala ?
   Desculpe acorda-la senhora Inspetora, mais por um acaso a senhora conhece Carlos Martins, Romyzeta Ortega e Juliana filha do inspetor Roberto ? E estariam em sua responsabilidade ?
   Sim eu os conheço, o que houve ? Eles estão bem ?
   Sim eles estão ótimos , de ressaca, mais estão muito bem, o problema é outro, tem como a senhora vir até a delegacia, se for o caso peço a um policial ir busca-la .
   Não , isso não se faz necessário , Roberto está aqui também . 
   Claro aguardo os dois .
   Quem nos aguarda ?
   Delegado BoaVentura 
   Logo estaremos ai .

   Uma hora depois ...

   Já em frente a delegacia Roberto estacionava o carro muito furioso resmugando algo que só se entendia a parte do ... "Ela puxou a mãe" ... seguido de um palavrão e mais resmungos , antes de entrar Elisabeth disse :

   Roberto meu amigo eu falo .
   Lisa eu ...
   Eu disse, deixa que eu falo .

   e entraram ...

   Era uma pequena , modesta e bem organizada Delegacia, muito limpa, e ao entrarem os Inspetores , todo o departamento parou o que estavam fazendo para observar os dois entrarem ...

   Sejam muito bem vindos ... Olhando para os lados completou ... e vocês voltem ao trabalho .
   Onde estão as crianças ?
   A, os jovens, por aqui ...

   A recepção não foi como imaginou o Delegado , no corredor que entraram havia varias portas e pararam em frente a uma indicada Interrogatório .
   Aqui podem entrar ... O policial abriu a porta e lá dentro estavam os três de cabeça baixa sentados na frente de uma grande mesa com três canecas de café, uma na frente de cada um, ao levantarem a cabeça o inspetor já disparou para Juliana ...
   O que você aprontou desta vez menina ?
   Roberto oque eu disse
   Não fiz nada .
   Não ?
   A cala essa boca Carlos.
   O que ela fez Carlos ?
   Na verdade é como já dissemos pro delegado, estávamos bêbados e em fim não lembramos de nada .
   Ele disse.
   Tudo bem vamos manter a calma aqui sim, senta Roberto, ...ela esperou o amigo sentar então fez a pergunta ... Delegado o que está havendo aqui ?
   Senhora inspetora eles estão sendo acusados de roubar um objeto na casa deste jovem ... lhe passou a foto do jovem para a inspetora ver .
   Um objeto ?
   Sim um objeto que não foi encontrado com eles .
   "O Roubo do Objeto Perdido" disse Carlos
   Ele é escritor, escritor amador, costuma colocar títulos nos meus casos .
   Posso ter feito muitas coisas, mais roubar .
   Nem eu .
   Nem vou responder .
   Bom mesmo Juliana .
   Vocês não se lembram de nada ?
   Quase nada
   Comece dai Carlos .
   E que o acusador apareça .
   Quem afinal das quantas é esse jovem acusador ? pergunta a inspetora ...




       Na semana que vem dia 13 / 04 / 15 sai o Capitulo 2 ...

aproveite essa semana pra curtir a pagina , compartilhar e comentar sobre o que achou do Capitulo 1 do mini livro O Roubo do Objeto Perdido ...

Agradeço a todos ao apoio para o Karlos Mclaren

até o próximo post

Beijos , Abraços e aperto de mão

Fuis


;   )


Nenhum comentário:

Postar um comentário